MANUAL DO IMPERMEABILIZADOR

Esta especificação técnica tem por objetivo fornecer subsídios na metodologia adequada de impermeabilização com mantas asfálticas.

Em cada caso, deverão ser analisadas todas as interferências construtivas, tais como: tipo de edificação, movimentações estruturais,  finalidades de cada área e segurança dos trabalhadores.

ABNT

" O projeto de impermeabilização deverá ser desenvolvido conjuntamente com o projeto geral e os projetos setoriais de modo a serem previstas as correspondentes especificações em termos de dimensões, cargas e detalhes ".

 

Na prática:

     Firma especializada é chamada quando o prédio já está quase pronto.

 

Problemas decorrentes:

     Falta de previsão de sobrecargas nas lajes

     Falta de previsão de caimentos, proteções, rebaixos e outros detalhes.

 

Conseqüências:

     Improvisações em obra

     Soluções não satisfatórias

     Custos elevados

     Dificuldade na definição das responsabilidades dos técnicos envolvidos.

 

Deverão fazer parte integrante deste trabalho as seguintes Normas Técnicas:

NBR 9575               - Elaboração de Projetos de Impermeabilização;

NBR 9686               - Solução Asfáltica Empregada como Imprimação da Impermeabilização;

NBR 9952               - Mantas Asfálticas com Armadura para Impermeabilização;

NBR 279/9574         - Execução de Impermeabilização;

NBR 9689               - Materiais e Sistemas para Impermeabilização

 

Partes de um projeto de impermeabilização:

     Memorial descritivo e justificativo.

     Desenhos e detalhes específicos.

     Especificações dos materiais a serem empregados e dos serviços a serem executados.

     Planilha de quantidade de serviços a serem realizados.

     Estimativa de custos dos serviços a serem realizados.

 

ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS ANTERIORES AOS SERVIÇOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO

     Observar atentamente o projeto de impermeabilização, antes do início dos serviços em cada área. Verificar o projeto de hidráulica, elétrica e as instalações antes dos serviços de impermeabilização, tais como:coletores de água pluviais, tubos emergentes, hidrantes, caixas de passagem, pára-raios, sinaleiros, etc.

     Todos os coletores de águas pluviais, tubos emergentes, etc., deverão estar bem chumbados no local com graute antes da impermeabilização.

     Na região dos ralos, deixar rebaixo para evitar acúmulo de água.

     Fixar todas as esperas de ancoragem de guarda corpos, bancos, torres, etc., antes de executar a impermeabilização para     correta execução e arremate da impermeabilização nos mesmos (ver detalhe em projeto).

     As cotas de arremate da impermeabilização quando interno ou externo, em batentes, contramarco,  deverão ser observadas no projeto de impermeabilização.

     Durante a execução dos serviços de impermeabilização, impedir o acesso de pessoas não qualificadas ou materiais, por meio de barreiras, para não comprometer o sistema de impermeabilização aplicado.

     Após a remoção do entulho (acabamento, proteção, impermeabilização e regularização existente),  proteger a área exposta com lona plástica para evitar possíveis infiltrações da água nos períodos de chuvas, durante execução dos novos serviços. A cada final de dia de serviços, cobrir a área com lona plástica.

 

PROCEDIMENTOS

     Serviços Preliminares

     Demolição da impermeabilização existente ( Restauração )

     Preparação da superfície

     Regularização da superfície

     Barreira vapor

     Isolante térmico

     Impermeabilização com manta asfáltica

     Teste de estanque idade

     Camada separadora papel kraft

     Chapisco grosso

     Proteção mecânica com tela galvanizada para vertical

     Entrega da obra

 

DEMOLIÇÃO DA IMPERMEABILIZAÇÃO EXISTENTE     ( Restauração )

Demolir os pisos e impermeabilizações existentes, inclusive argamassa de regularização e assentamento,

impermeabilização e todo o enchimento existente, os pavimentos deverão ficar no "osso", no nível da laje

de concreto, perfeitamente limpa e nivelada, para execução das regularizações, impermeabilizações, instalações,

proteções e acabamentos previstos no projeto.

Após a remoção do entulho (acabamento, proteção, impermeabilização e regularização existente), proteger a

área exposta com lona plástica para evitar possíveis infiltrações da água nos períodos de chuvas, durante

execução dos novos serviços.

A cada final de dia de serviços, cobrir a área com lona plástica.

 

SERVIÇOS COMPLEMENTARES

LIMPEZA DA OBRA

 

Durante a execução dos serviços deverá ser feita limpeza do local, de modo a garantir perfeitas condições de segurança e higiene do trabalho. Será procedida diariamente remoção de todo o entulho e detritos que venham a se acumular no decorrer da obra.

RETIRADA DE ENTULHOS

Os entulhos decorrentes da execução da obra e da demolição, deverão ser prontamente removidos para caçambas apropriadas, a serem legalmente colocadas para tal finalidade junto às calçadas, com recolhimento diário.

 

SUPORTE DA IMPERMEABILIZAÇÃO

O suporte da impermeabilização, estrutura portante, camada de regularização e isolamento térmico deveram apresentar as seguintes características:

     Textura

     Resistência ao puncionamento

     Resistência à compressão

     Estabilidade dimensional

     Características higrotérmico

     Características térmicas

     Comportamento ao fogo

     Compatibilidade química com a impermeabilização

 

PREPARAÇÃO DA SUPERFÍCIE

Para obter se um bom desempenho na aplicação dos sistemas de impermeabilização, devemos tomar alguns cuidados na preparação da superfície:

     A superfície deve estar desimpedida e livre para o trabalho de impermeabilização;

     localizar eventuais falhas de concretagem, removendo as partes soltas e preparar a superfície com argamassa específica;

     Providenciar limpeza enérgica da superfície, removendo excesso de concreto, madeira, ferro, poeira, etc.,

     Umedecer a superfície com água em abundância antes da regularização, para melhor aderência no substrato;

     Nos rodapés, muros e  paredes a argamassa de regularização deve subir de 20 a 30 cm do piso acabado

     com os cantos arredondados de 8 cm de raio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

REGULARIZAÇÃO DA SUPERFÍCIE

É a camada que prepara a superfície para o recebimento do sistema de impermeabilização, Nesta camada deverá ser formado o diagrama de escoamento da água (caimentos) de no mínimo 1% (ver projeto de impermeabilização), conforme NBR 9574.

Esta argamassa deverá ter acabamento desempenado, os cantos no encontro com as vigas serão arredondados com raio de 8 cm.

No preparo desta argamassa deverão ser empregados os seguintes materiais:

          - Areia lavada média peneirada;

          - Cimento Portland comum CP 32;

          - Água limpa;

          - Aditivos promotores de aderência.

          - A argamassa deverá ser preparada sempre em betoneira;

O tempo de cura mínimo desta argamassa será de 48 horas, e em tempo seco e quente a superfície deverá ser molhada 2 vezes ao dia.

 

REGULARIZAÇÃO DA SUPERFÍCIE

É a camada que prepara a superfície para o recebimento do sistema de impermeabilização, Nesta camada

deverá ser formado o diagrama de escoamento da água (caimentos) de no mínimo 1%

(ver projeto de impermeabilização), conforme NBR 9574.

Esta argamassa deverá ter acabamento desempenado, os cantos no encontro com as vigas serão

arredondados com raio de 8 cm.

No preparo desta argamassa deverão ser empregados os seguintes materiais:

 

          - Areia lavada média peneirada;

          - Cimento Portland comum CP 32;

          - Água limpa;

          - Aditivos promotores de aderência.

          - A argamassa deverá ser preparada sempre em betoneira;

 

O tempo de cura mínimo desta argamassa será de 48 horas, e em tempo seco e quente a superfície deverá

ser molhada 2 vezes ao dia.

Não considerar caimentos em coberturas com grandes inclinações (abóbadas, cúpulas ou lajes planas inclinadas)

 

IMPRIMAÇÃO ASFÁLTICA

A imprimação asfáltica é o elemento de ligação entre o substrato e as mantas pré fabricada de asfalto.

Ele é composto por asfalto oxidado ( pelas suas características adesivas ) diluídos em  solventes orgânicos.

Depois de regularizada a superfície aplicasse com rolo de lã de carneiro ou trincha, em temperatura ambiente entre 10 e 50 Cº.

Manter o ambiente ventilado durante a aplicação e a secagem de 3 a 6 horas, dependendo das condições ambientais.

Consumo: 0,4 a 0,6 kg por m2.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMPERMEABILIZAÇÃO  COM MANTA ASFÁLTICA

As mantas asfálticas podem ser aplicadas em diversos tipos de substrato, cimento, zinco, alumínio, cimento

amianto, madeira, etc.

Depois de finalizados os trabalhos prévios a aplicação da manta,  se começara o pré tratamento dos ralos

e pontos emergentes.

Nos ralos deverá ser considerado rebaixo de 3 cm de profundidade, com área de 40 x 40 cm com bordas

chanfradas para que haja nivelamento de toda a impermeabilização, após a colocação dos reforços previstos

no local, conforme fotografia.

Ralos, tubulações e outros detalhes existentes deverão ser perfeitamente vedados com asfalto

Bituprimer Flex, sendo que o cuidado destes detalhes prolongarão a vida da impermeabilização.

 

Muitos dos casos de infiltrações são erros de aplicação nestes pontos!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os reforços em ralos e tubulações serão realizados em 2 etapas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abrir o rolo totalmente para o alinhamento e seguida bobinar novamente. Queimar com o maçarico o polietileno protetor de alta densidade e também a tinta de imprimação para promover uma perfeita aderência.

Nossa recomendação e que a manta seja totalmente aderida, já que se ela é soldada somente nas juntas
( manta flutuante ) e tiver qualquer vazamento é muito difícil achar o ponto exato já que a água pode correr
entre o concreto e a argamassa de regularização aparecendo o vazamento em outro ponto completamente
diferente ao da infiltração na manta.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A manta deverá ser colocada no sentido contrário ao caimento começando da parte mais baixa para a mais alta até cobrir toda a área inclusive a platibanda si for necessário.

Entre uma manta e outra devera ter um sobreposição de no mínimo 10 cm.

Completar a aplicação até cobrir com a manta toda a área a impermeabilizar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Depois de coberta toda a superfície se deverá fazer o arremate de todas as juntas aquecendo com o maçarico
e passando uma colher de pedreiro.

Si as mantas forem aluminizadas, as juntas deverão ser pintadas com tinta alumínio de base asfáltica para proteção do asfalto dos raios U.V, dando um acabamento perfeito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

TESTE DE ESTANQUEIDADE

Após o término da impermeabilização, iniciar os seguintes testes:

· Proceder na horizontal teste de lâmina da água de 72 horas, em etapas para observar eventuais falhas no sistema.

 

· Após conclusão dos testes na horizontal, se possível na vertical jatear água com equipamento de pressão para verificação da aderência da impermeabilização no substrato;

 

· A aderência do material à regularização evita a percolação da água sob a manta, facilitando, em caso de infiltração, uma eventual localização e reparo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROTEÇÃO MECÂNICA


CLASSIFICAÇÃO DAS PROTEÇÕES:

· Proteção mecânica por sombreamento: placas apoiadas para formação de colchão de ar

· Proteção de mantas asfáltica auto- protegidas ( alumínio, ardósia )

· Proteção mecânica rígida (argamassas, concretos, revestimentos nobres): áreas acessíveis

· Proteção mecânica de material solto (brita, argila expandida, dolomita, etc.....) : áreas inacessíveis e de pequena inclinação

 

OBS.: A proteção mecânica é aplicada sobre uma "camada de transição", constituída de argamassa sobre
papel kraft embreado ou feltro asfáltico.

PROTEÇÃO RÍGIDA ( PISO FINAL )
 

· Argamassa de cimento, cal e areia (1:3 ) min. 3 cm de espessura

· Desempenho

· Juntas de movimentação: placas de 1,5 m x 1,5 m

· Juntas perimetrais

· Superfícies verticais ou com grande inclinação: argamassa armada.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

PROTEÇÃO DO TIPO MATERIAL SOLTO

· Camada monolítica de argamassa protetora rígida sobre a impermeabilização.

· Aplicação de camada de material solto (argila expandida, brita, seixos, etc.)

· e = 5 a 10 cm


Após a entrega dos serviços, a impermeabilização não deverá ser furada para fixação de antenas ou outros
interferentes. A fixação destes elementos serão sempre sobre bases de concreto pré moldadas ou moldadas
sobre a impermeabilização, dimensionadas conforme o tamanho do equipamento a ser instalado.

 


TELA GALVANIZADA NA VERTICAL

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LABORATÓRIOS PARA ENSAIOS DOS MATERIAIS

· IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas do estado de São Paulo;

· L. A. Falcão Bauer Centro Tecnológico de Controle da Qualidades Ltda.


Dúvidas, críticas, elogios ou reclamações clique aqui!

Home       Empresa      Produtos      Aplicação      Qualidade        Vídeos      Trabalhe conosco       Fornecedores        Download de catálogos       Contato       

Que tipo de manta eu preciso?

Mantas Asfálticas Aluminizadas

Pesquisa de Satisfação de Clientes

Solicite catálogos impressos

Obras de referencia